Tempo, tempo, tempo!

21 de julho de 2011

É interessante observar como nossa percepção do tempo muda de acordo com o que estamos fazendo. É mais interessante ainda observar como esta mesma percepção muda no decorrer do próprio tempo…

Sabe aqueles dias em que você tem milhões de coisas para fazer e parece que tudo conspira contra? Enquanto em outros que você tem pouca coisa para fazer, este mesmo tempo (sim, pois TODOS os dias possuem 24 horas, com exceção daqueles que marcam o início e o fim do horário de verão nos lugarem em que há horário de verão =D) custa a passar…

Penso que o problema reside, em partes, na administração do nosso próprio tempo, mas existem coisas que perpassam nossa própria responsabilidade e compreensão.

Perco um tempo (e consequentemente dinheiro) enorme indo e voltando para o trabalho. Alguns dias mais, outros menos… Em alguns destes não consigo entender como demoro tanto ou como consigo chegar em tão pouco tempo…

Há poucos dias (acho que semanas, na verdade) fiz um cálculo para ter ‘idéia’ de quanto perdia financeiramente falando (sim, esta é a métrica que vale!) neste trajeto casa-trabalho-casa…. A conta é simples, pegue seu salário e divida por quantas horas você tem que trabalhar por mês… Pronto, terás o valor de tua hora de trabalho. Multiplique este valor pela quantidade de horas que você leva neste trajeto e…. BINGO! descobriu quanto gasta (ou deixa de ganhar) no trânsito!

Esta mesma conta pode ser feita para outras atividades cotidianas…

Quanto custa aquela soneca que tiramos de manhã? No meu caso, muitas vezes, custa MUITO caro… Nunca durmo só mais 5 minutos! rs

Escrevendo este post lembrei-me da música “Sobre o Tempo” do Pato Fu. Iria anexar o áudio, mas o wordpress não permitiu!!! Então segue o vídeo do youtube!!!

Depois de tudo isto, espero que o tempo que vocês levaram lendo este post não tenha sido perdido! 😉

Anúncios