Discriminação, Negação e Reafirmação

29 de abril de 2012

Finalmente chegou ao fim o julgamento do STF sobre o tema das cotas raciais. O autor da ação (DEMOCRATAS) que pretendia excluir o regime de cotas das instituições de ensino superior do país saiu, por assim dizer, derrotado…

Considero esta decisão uma vitória do país e, principalmente, da população, que de forma velada, é discriminada por toda a sociedade.

Todos nós contribuímos para este preconceito velado e descarado que atinge todos os cantos do nosso país. Não me refiro aqui apenas ao preconceito com o negro ou com o índio, mas também com todos aqueles que não compreendemos, como a mulher, a criança, o idoso, os meninos de rua, os menos afortunados, os que possuem culturas diferentes…

Falta empatia para entender a situação que o outro passa e respeitá-lo por suas conquistas, independentemente de cor, raça, sexo, credo e outros…

Nunca concordei com cotas raciais, mas sim com cotas sociais. Nunca vi problema se as duas andassem juntas. Mas, diante de uma sociedade que nega e esconde seus problemas, é urgente a adoção de medidas que escancarem-os e forneçam soluções temporárias.

Alguns, contrários à política de cotas, dirão que ela fere o artigo 5º da constituição. Falha de interpretação, pois a igualdade não é um princípio homogêneo. Garantir igualdade não é tratar todo mundo igual, mas tratar da mesma forma os iguais. E isto não é como forma de um privilégio, mas para garantir que todos tenham acesso aos mesmos direitos.

Considero um absurdo uma comissão que julga se você tem direito à cota por ser negro ou não. A decisão de concorrer à cota deve ser do candidato, declarando a sua classificação enquanto à cor (para cotas raciais).

Acredito que o mecanismo mais justo de inclusão seria o baseado na origem estudantil, garantindo vagas para alunos oriundos das escolas públicas, pois estes sim, precisam de assistência e apoio para garantir vagas nas universidades.

Vivemos em um país que a elite é BRANCA e onde há poucos NEGROS em cargos de comando. Há muito preconceito velado em todos os ambientes.

Espero que, num futuro breve, políticas reafirmativas como cotas sociais ou raciais não sejam necessárias e que vivamos em um país onde todos são realmente iguais, com acesso aos mesmos serviços com mesmo nível de qualidade!!!

Não pensem que escrevo estas palavras sem culpa alguma. Eu também tenho preconceitos velados e que guiam meus atos em alguns momentos…

Anúncios

Fazendo a Nossa Parte

28 de abril de 2012

No sábado passado integrei o grupo que marchou em protesto contra a corrupção no Brasil.

Cantamos, gritamos, marchamos e protestamos contra a corrupção que corrói montanhas de dinheiro arrecadados por nossos governos.

Muitas vezes reclamamos de como as coisas acontecem no nosso país, reclamamos dos escândalos e ficamos indignados com o que vemos passar na TV, mas o que realmente temos feito para mudar esta realidade? Quantos de nós tem feito a nossa parte para mudar este triste cenário da política brasileira?

Não deixarão de existir corruptos só porque na sua poltrona você fica irritado com os milhões de reais desviados de escolas ou de hospitais ou com o preço absurdo cobrado pelas empresas que vencem processos licitatórios maquiados…

Cada um de nós pode fazer mais, deve fazer mais para reverter este quadro.

Com atitudes simples podemos contribuir para mudar o Brasil e para mudar o mundo!

Vamos começar a votar com mais consciência? Vamos começar a exigir dos nossos representantes eleitos o cumprimento dos compromissos assumidos na campanha? Vamos exigir leis mais duras para políticos corruptos? E, principalmente, vamos parar de ser corruptos?

Quando falarmos menos e agirmos mais, podemos ter confiança de que teremos um país com políticos engajados com os reais problemas da população e não em encher seus próprios bolsos de dinheiro PÚBLICO!


(Falta de) Inspiração

28 de abril de 2012

Acho graça de como as ideias surgem… Meio de repente bate aquele treco na cabeça e você pensa em algo legal que pode fazer. No momento sempre achamos excelente, mas caso não vire algo logo cai no esquecimento e desinteresse…

Estranhamente, nos últimos tempos, as ideias não tem aparecido para mim (elas devem estar se escondendo… rs). Talvez seja falta de exercício… Ou motivo para pensar em algo mesmo.

Fato que não tenho tido interesse em publicar coisas mais íntimas, nem saco para escrever sobre mais do mesmo (coisas que todo mundo sabe, que todo mundo não gosta, mas que não mudam)…

Sempre fui o tipo de pessoa que começa a escrever sobre um assunto e o texto flui… Bastava apenas o assunto e o resto “surgia”. O problema é que recentemente o assunto não tem surgido e, consequentemente, meus pensamentos tem ficado guardado para mim…

Preciso (re)encontrar minha inspiração e vomitar os meus pensamentos que tanto apertam minha caixa de pensamentos…